epoksi reçine mobil ödeme ile bahis siteleri/a> meme büyütme kolaybet betgaranti vdcasino casino siteleri vdcasino giriş kolaybet vdcasino sorunsuz giriş sultanbet vdcasino yeni giriş mydodolook.com gaziantep escort diyarbakır escort istanbul escort beylikdüzü escort kayseri escort escort adana

A Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas de Niterói foi fundada na cidade de Niterói em 31 de dezembro de 1942, após alguns anos do reconhecimento oficial e da regulamentação dos cursos universitários de ensino comercial, ocorrido em 1931. Iniciou sua trajetória como instituição particular que dispunha de autonomia didática1, mantida pelo Colégio Plínio Leite, e funcionando em um porão contíguo, situado nos fundos do referido colégio, na Rua Visconde do Uruguai, 248. Dentre seus fundadores, estavam Plínio Ribeiro Batista Leite, Laércio Caldeira de Andrade, Margarida Walldman Leite e Luiz Gonzaga Jayme; e mais tarde, a instituição deu origem à Faculdade de Economia da Uferj. A leitura da ata de fundação revela que sua primeira congregação incluía os titulares de cada disciplina, assim como os docentes responsáveis pela redação da minuta do Regimento Interno, a saber: Manoel Miguel da Silva, Enéas Rabello Tâmega e Jair Ferreira da Rocha, por decisão da reunião de sua fundação.

O curso foi inaugurado em 1º de março de 1943, dois meses após ser criado, com aula inaugural sobre o tema “Comentários à Constituição de 10 de Novembro de 1937”2, proferida pelo professor Laércio Caldeira de Andrada. Na época, o corpo docente era composto por bacharéis em Direito e profissionais com formações nas áreas de administração, contabilidade e sociologia3, convidados pela direção da faculdade e aprovados pela congregação. Cabe ressaltar que eram priorizadas aquelas pessoas que, no serviço público, exerciam funções ou estivessem em cargos ligados às finanças, e sendo assim, muitos de seus professores eram ligados a instituições como o Banco do Brasil, Ministério da Fazenda e a Confederação Nacional do Comércio.
A forma de entrada dos professores catedráticos, docentes livres e assistentes passou a ser realizada por meio de concurso, logo após a aprovação do Regimento Interno. Sobre o assunto, cabe citar a fala do professor Ralf Zercoviski que ressalta a tradição de concursos para professores nessa unidade de ensino4.

O ingresso dos estudantes era realizado pelo exame vestibular organizado pela própria faculdade, com provas escritas e orais de Português, História, Geografia do Brasil e Francês. Em 1947, passou a ser feito por meio das disciplinas Geografia, História do Brasil e Matemática, até 1968, quando passaram a ser coordenados pela Cesgranrio.

A Faculdade de Ciências Econômicas de Niterói formou sua primeira turma em 1945, que colou grau no dia 14 de dezembro, em uma cerimônia na Academia Fluminense de Letras5. Nesse mesmo ano, o Conselho Nacional de Educação determinou sua adaptação à nova legislação, visando ao seu reconhecimento como estabelecimento de ensino superior, conforme o decreto 7.988 de 1945 e parecer 353-45, após o período inicial sob a fiscalização federal, em obediência à legislação federal de 1931, decreto 20.158.

O reconhecimento oficial só veio a ocorrer em 21 de junho de 1949, através do decreto 26.937 do então ministro Clemente Mariani, após a adequação da faculdade à portaria ministerial nº18 de 12 de janeiro de 1946. Neste mesmo ano, os estudantes fundaram o Diretório Acadêmico da faculdade, previsto no Regimento Interno, que ganhou o nome de Diretório Acadêmico Hermann Júnior, em homenagem ao economista, contabilista e professor da Universidade de São Paulo e da Universidade do Rio de Janeiro, autor de importantes livros da área, e com atuação na Companhia Siderúrgica Nacional6.

Em 1954, a faculdade transferiu seu funcionamento para o Liceu Nilo Peçanha, permanecendo naquelas dependências por nove anos. Durante este período, contou com algum apoio do governo estadual, por intermédio de Amaral Peixoto. A Profa. Hildete Mello esclarece que o processo de mudanças iniciado em 1954 ocorreu devido a dificuldades na relação entre a sociedade mantenedora Plínio Leite e o Ministério da Educação, e que sendo assim, a congregação da faculdade decidiu adquirir o controle da instituição, por meio de um movimento liderado por Laércio Caldeira de Andrada, então vice-diretor da faculdade. Esse ato foi aprovado pela congregação em 31 de outubro de 1956, e foi assinado pelos professores Dálgio Vianna Cunha, Laércio Caldeira de Andrada, Jorge Loretti, Oderu Ribamar Teixeira, René Frederico Alves Trachez, Ovídio Gouveia da Cunha, Osmar Moura da Costa, Halim Miguel e Octávio Vaz de Almeida Albuquerque. Ainda, segundo a Profa. Hildete, 50% do custo total de Cr$ 500.000,00 foram pagos no ato do desligamento e o restante foi quitado no momento da federalização da faculdade em 19607.

Leia o texto na íntegra aqui

 


Notas

1 RODRIGUES, Adriana Gomes. Faculdade de Economia da UFF: uma história. 2000. 105 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Econômicas) – Faculdade de Economia, Universidade Federal Fluminense, 2000. p. 22.
2 MELO, Hildete Pereira.Faculdade de Economia - Universidade Federal Fluminense: 60 Anos de História. Niterói: UFF, Faculdade de Economia, 2004. p. 7.
3 RODRIGUES, 2000, p. 20-23.
4 I parte da entrevista do Prof. Ralf Zercovski concedida às professoras Hildete Pereira de Melo e Lérida Povoreli. PROJETO Memória da Faculdade de Economia da UFF. Gravação, edição e direção de vídeo: Fernando de Andrade Perez, 2002. (Série Depoimentos). Disponível em: <http://youtu.be/FodJKijZ8CQ-.html>. Acesso em: jul./ set. 2012.
5 RODRIGUES, 2000, p. 23.
6 MELO, 2004, p. 6.
7 MELO, 2004, p. 8.

 

Realização Parcerias

 Prefeitura Universitária